Como apresentar um gato novo aos que ja vivem na casa?

Ao contrário do que a maior parte das pessoas acredita, gatos são criaturinhas extremamente carinhosas e amorosas, tanto quanto os cães. Por isso mesmo, também podem se tornar ciumentas quando um novo gato vem morar na “sua” casa, brincar com “seus” brinquedos, partilhar “sua” comida e, sobretudo, repartir o carinho do “seu” ser humano predileto!!

Ao longo do tempo que compartilho minha vida com muitos gatos, fui aprendendo como amenizar esse ciúme e, sobretudo, esse stress. A dúvida do gato residente é, no fundo, bem parecida com a dúvida que assola os filhos mais velhos quando nasce um irmãozinho: será que esse novo bichinho vai roubar o carinho dos meus seres queridos? Será que eles não vão mais cuidar de mim, gostar de mim, me querer por perto, por causa desse filhote engraçadinho?

Antes e acima de tudo, é preciso respeitar o tempo e o espaço dos gatos, tanto dos novos quanto dos antigos moradores. Não se deve forçar a aproximação deles; sempre vai haver um pouco de miados e rosnados, mas, em pouco tempo, todos estarão convivendo bem.

A verdade é que pouquíssimos gatos gostam mesmo de ser “filhos únicos”…. E a queixa de muitos pais – de que seu gatinho brinca bruto com eles ou não para quieto de madrugada – vem do fato de ele não ter ninguém mais para brincar e partilhar a vida! Do fato de que ele passa o dia dormindo enquanto vc trabalha e a noite, é quando acorda para tudo…. trocando o dia pela noite! Por isso acreditem: em 95% dos casos, os gatinhos são mais felizes com um irmão.

Uma dica simples e muito eficaz é fazer com que o novo gato fique, rapidamente, com o “cheiro do bando”. Você já notou que os gatos roçam o “rosto” uns nos outros, e também roçam a carinha em você? É que os gatos têm glândulas de cheiro (cheiro que só eles sentem) no espaço entre a boca e a orelha. Daí, quando ele roça essa parte do focinho em você, está te aceitando, te “marcando” como membro do bando.

Quando gatos convivem no mesmo espaço, de tanto roçar os focinhos, acabam criando um “cheiro do bando”, e o gato novo, é claro, não vai ter esse cheiro. Daí, será visto como um estranho, com direito a ser ignorado, esnobado e afastado.

Como acelerar esse processo?

– esfregue um pano ou toalha no “rosto” do gato novo (sempre no espaço entre a boca e a orelha) e, depois, esfregue-o no mesmo local do focinho dos outros gatos. Faça também o processo inverso: pegue outro pano, esfregue no rosto dos gatos moradores e, depois, esfregue no rosto do gato novo. Se puder, faça isso mais de uma vez por dia;

– outra opção: pegue um pano em que seus gatos moradores costumam dormir, e use como cama para o novo gato. Faça também o processo inverso: pegue um pano em que o novo gato dormiu ou deitou, e coloque-o na cama dos gatos moradores.

É importante lembrar que gatos são muito sensíveis e sentem a apreensão do dono!! A sua calma na adaptação também dita o tom da coisa…. por isso, não se assuste com alguns fuuus e rosnados, uns tapinhas aqui e ali rs… faz parte do processo! Gritar, brigar e se desesperar na presença disso só aumenta o stress do momento!

Uma coisa que as vezes ajuda é colocar umas gotas de baunilha no cangote do gatinho novo! (sim, estranho mas as vezes funciona! haha)

Outra excelente maneira para reduzir esse stress é utilizar medicamentos homeopáticos ou essências florais.

Por ter experimentado e aprovado, e pela experiência positiva de todos a quem os recomendei, sugiro os seguintes:

– Rescue, um floral de Bach, que deve ser colocado na água de todos os gatos diariamente (2 ou 3 gotas são o suficiente). Único e fundamental cuidado: gatos nunca podem tomar medicamentos à base de álcool, pois ele tem um efeito danoso e pode ser fatal, mesmo em pequenas doses. A solução é mandar fazer o Rescue sem álcool (o que a maioria das farmácias de manipulação não gosta de fazer; portanto, explique que é para seu gato, e garanta que vai guardar o floral na geladeira);

– Gelsemium Semp 30CH (sempre mandar fazer em glóbulos, pelo mesmo motivo acima: gatos não podem tomar álcool). Dar 3 glóbulos 3 x dia para cada gato ou dissolver 5 ou 6 glóbulos diariamente na água de todos os gatos. Como todo medicamento homeopático, é muito barato.

– Fator Estresse Pet, da Homeopatianimal Arenales (www.arenales.com.br), um laboratório homeopático focado em produtos para animais e plantas.Usar conforme instruções na bula.

– Fito Guard Ambiental (www.fitoguard.com.br) Usar conforme instruções na bula.

– Difusor de Feliway: É um análogo sintético com a mesma ação do feromônio facial felino cientificamente comprovado e indicado para dar segurança e tranquilidade aos gatos, principalmente sob situações adversas do dia a dia do animal.

Todas essas alternativas também podem e devem ser usadas em outras situações estressantes, como véspera de cirurgia, visitas ao veterinário, viagens, ausência dos donos, etc…

Tudo o que eu disse antes só terá efeito, é claro, junto com seu amor, seu carinho e uma boa dose de paciência.

Tenha certeza, contudo, que você vai receber de volta todo seu amor multiplicado por mil vezes; afinal, os animais são, mesmo, capazes de amar incondicionalmente.

texto: Laura Gallucci

E, como os bichos (ainda) não sabem falar, deixem-me falar por eles: muito obrigada por adotar um animal carente!

Nosso telefone de contato (e Whatsapp): (11) 98430-9805
O primeiro e único Hotel para gatos em SP com monitoramento 24hs por dia!